Suicídio: a primeira tentativa

Em setembro de 2009, fiz minha primeira tentativa de suicídio "estudada". Digo isso porque, antes de receber meu diagnóstico, no início do mesmo ano, desesperada, procurei nas bulas de todos os medicamentos que tinha em casa,  algum cuja overdose pudesse levar à morte. Pedi, então, que me entregassem algumas cartelas de Dramin. Tomei. Mas o telefone tocou e eu contei ao meu ex (vou chamá-lo de Eduardo) o que havia feito. Eduardo ficou meio assustado e eu me arrependi. Comecei a beber água e a vomitar. O organismo deve tar absorvido alguma coisa daquilo tudo, porque eu dormi muito. E só. 

Voltando a setembro de 2009, lembro de alguns detalhes, não todos. Eu e Eduardo havíamos brigado. Não quero registrar agora os motivos todos. É longo e não vale a pena. Talvez depois. Desestabilizei. Na época, não fazia acompanhamento com a médica que me diagnosticou porque estava sem grana para bancar o tratamento, as consultas eram caras. Estava com um médico do plano que só me medicava, mas não me acompanhava com terapia. Lembro que fui para a internet e fiz uma longa pesquisa sobre suicídio. Encontrei algumas ocorrências com um dos medicamentos que tinha em casa. Tinha três caixas fechadas dele. Juntei com mais montanhas de outros medicamentos cujos nomes não citarei aqui por razões óbvias e tomei tudo com vodka. 

Acordei no hospital sem entender nada. Uma familiar minha recebeu um e-mail meu com senhas de banco, etc. Ela não costumava abrir e-mails aos fins de semana e por essa razão, mandei uma mensagem com meus dados para ela. Mas nesse dia, abriu. Nada é por acaso. Ela, então suspeitou de algo e quando chegou à minha casa, tocou a campainha e eu não abri, pois, segundo ela, já estava totalmente dopada. Ela conta que começou a chamar pelo meu nome até que me dirigi até a porta e girei a chave com dificulade. Não lembro de nada. 

Ao ligar para Eduardo, que estava no supermercado, essa minha familiar recebeu a seguinte resposta: que ele ainda ia passar as compras no caixa e não sabia o que fazer. Era muito amor, falem a verdade? Ela então ligou para os bombeiros que a orientaram a conseguir resgate com alguém mais rápido. Foi o que aconteceu. 
Passei cerca de uma semana no hospital e depois mais quase um mês numa clínica psiquiátrica, onde vivi uma das piores experiências da minha vida. 
23 Responses
  1. Breno Melo Says:

    Olá, Ana!

    De fato, foi uma feliz coincidência. Nada é por acaso...

    Espero que as coisas melhorem cada vez mais para vc. ;)


  2. Lisa Says:

    Olá.
    rs Acredite ou não, dia 11 deste mês fiz algo parecido: ingeri 4 cartelas e meia de Dramin comum. Mas eu não avisei para ninguém, não dei pistas nenhuma para ninguém. Porém eu errei quando fiz isso numa 2ª-feira... Na 3ª-feira meu colega de serviço foi me procurar em meu apartamento, saber o porquê de eu estar faltando serviço e tal... Ele me encontrou alucinada na escada de meu apartamento, já tinha caído várias vezes, estava toda machucada, hematomas e tal... Eu não lembro de NADA. Só de um "flash" de eu rolando escada à baixo. Fiquei dois dias internada no soro, agora to com 30 dias de licença do serviço e consultas com piscicóloga e pisciquiatra. Mas... se eu tivesse tentado numa 6ª-feira, a probabilidade de obter êxito seria maior.


  3. Uma Pergunta: Por que você mandou um email com suas senhas de banco etc..?


  4. O que aconteceu com você na clinica psiquiatrica?


  5. O que aconteceu com você na clinica psiquiatrica?


  6. Não vale a pena, sei da dor que sentimos da inadeguação. Mas vale a pena continuar a caminhada . A luta se arfua mas no final da jornada podera dizer eu venci a doença, não foi ela que me venceu. Sou forte o suficiente. Tenho blog:http. //despertarde uma bipolar.blospost.com.br


  7. Que pergunta indiscreta. se coloca no lugar de nossa amiga, e imagina se for vc e o que acha que acontecer. Ela foi para spa.


  8. Não vale a pena, sei da dor que sentimos da inadeguação. Mas vale a pena continuar a caminhada . A luta se arfua mas no final da jornada podera dizer eu venci a doença, não foi ela que me venceu. Sou forte o suficiente. Tenho blog:http. //despertarde uma bipolar.blospost.com.br


  9. Kátia Says:

    to na mesma situação,procurando um meio de sumir desse mundo e dessa vida infeliz e sem nenhuma razão pra continuar,mas ao contrario de vc vou conseguir,não dá mais pra mim,não tem sentido viver assim,to cansada demais,nem lagrimas eu tenho,depressao mata sim,começa de dentro pra fora,não me importa que me ofendam ou me critiquem,isso faz parte do meu dia a dia,se tornou indolor


  10. Ana Luíza Says:

    estou na mesma, quero sumir daqui, viver não faz mais sentido


  11. Ana Luíza Says:

    estou na mesma, quero sumir daqui, viver não faz mais sentido


  12. Oi, meu nome é Nikolas. Não faça isso. Tem pessoas que ligam muito pra você e que nunca superariam perder você. Depressão é uma doença séria mas que tem cura sim.


  13. L.E.M. Says:

    Também não aguento mais.


  14. L.E.M. Says:

    Também não aguento mais.



  15. Unknown Says:

    Acabei de comprar mais uma caixa de dramim, criando coragem pra tomar, meu ex sabe da minha intenção, mas ele deve estar muito ocupado para tentar me salvar agora, depressão pode ter cura, mas não deixa de matar.


  16. Isabel Says:

    A esperança está em Jesus Cristo, entreguem suas vidas a ELE, deixa Ele curar suas feridas, dores, enfermidades. O Nome de Jesus é mais poderoso do que qualquer coisa Ele trás de volta a vida ao abatido, transforma lágrimas em vitórias. Nada justifica tirar a vida só Deus assim pode fazer. Depressão é uma enfermidade que Jesus Cristo pode curar basta você confiar Nele e entregar suas tristezas nas mãos de Deus, conversem com Ele em oração, fale como um amigo fala com o Outro Ele te ouvirá e responderá. Fé!! Jesus é o caminho para libertação. Ele ama sua vida, Creia!


  17. Desculpa Isabel, mas se JC fosse a cura Padre Marcelo Rossi nao teria passado por isso


  18. FJLP Says:

    JC conduz nossos caminhos, nos dá força, mas além de buscar un motivo para ter fé na vida, deve-se procurar acompanhamento médico e psicológico. As pessoas não entendem a dimensão da dor e desespero que é para quem está passando pela depressão. Acredito que o carinho da nossa família, amigos e a vontade de vencer todas as tribulações são essenciais. Falem para as pessoas oq vcs sentem, compartilhem sua dor, não dá para guardar isso apenas para si.


  19. Ingrid Says:
    Este comentário foi removido pelo autor.

  20. Unknown Says:

    Não tenho mais motivos para continuar... Nada faz sentido... Tomando coragem p tomar ... Não espero por milagres ... Sempre ouvi minha mãe dizer que sou um fardo que sempre atrapalhe a vida dela ... Hj acho que estou atrapalhando a vida de meu marido ... Eu sou um erro não deveria ter nascido...


  21. Não tenho mais motivos para continuar... Nada faz sentido... Tomando coragem p tomar ... Não espero por milagres ... Sempre ouvi minha mãe dizer que sou um fardo que sempre atrapalhe a vida dela ... Hj acho que estou atrapalhando a vida de meu marido ... Eu sou um erro não deveria ter nascido...


  22. Eu já tomei 15 comprimidos de dramim com a intenção de dormir e não acordar mais. Só que não deu muito certo, pois eu vomitei um tempo depois. E a única coisa que eu tive foi alucinações, muitas alucinações e minha família queria me levar ao hospital pra fazer uma lavagem pq eu tava muito louca...bem drogada mesmo. Pelo menos nesse momento dopada eu não chorei, pelo contrário...eu ria de tudo o que minha mente criava. Mas acho que só estou aqui pq Deus me fez vomitar.
    Agora quando quero tomar dramim pra dormir ele não faz efeito algum...a mesma coisa com o Rivotril.

    Eu só queria uma maneira de desaparecer desse mundo sem ser dessa forma...tenho certeza que sairia nos blogs de notícia da minha cidade falando sobre isso. Queria algo natural, tipo atropelada...sei lá